domingo, 29 de março de 2009

A masturbação faz mal?

O propósito dessa página é explicar porque a masturbação pode ser prejudicial na sua vida e também encorajar as pessoas a abandonarem essa prática. Certamente a masturbação pode trazer algum prazer temporário, mas normalmente vem acompanhada, em longo prazo, pelo vício e outros problemas de ordem sexual. Peça a Deus que lhe mostre a verdade sobre a masturbação.

1. A masturbação cria um vício!

Peço a quem duvida que a masturbação cria um vício que veja quantas semanas ou meses consegue passar sem se masturbar. Sabemos, hoje em dia, que vícios de ordem sexual são como uma drogadicção auto-induzida. Os hormônios e substâncias que nosso corpo libera durante a excitação sexual criam no cérebro o mesmo efeito que as drogas criam. A masturbação repetida reforça um círculo vicioso na química cerebral (ref.: Exposing Porn: Sciene, Religion, and the New Addiction, Paul Strand, www.cbn.com, Abril de 2004). Assim como nas drogas, na masturbação cada vez mais se necessita de uma quantidade maior de estímulo para atingir o mesmo nível de prazer. Isso pode levar ao aumento na frequência do hábito ou em uma busca sem fim por materiais novos para criar uma experiência mais “excitante”.

2. A masturbação condiciona nosso corpo a responder à auto-estimulação, que é centrada em nós mesmos

Isso prejudica nossa habilidade de nos relacionarmos com uma outra pessoa sexualmente. O sexo é uma experiência relacional, em que damos atenção às necessidades de outra pessoa pelo menos tanto quanto a nossas próprias. Se nos acostumamos a servir somente a nossas próprias necessidades, podemos achar difícil dar ao parceiro(a) a atenção que deseja. Além do mais, os hormônios liberados no cérebro durante a excitação sexual causam uma ligação emocional com o que estivermos olhando e/ou pensando naquela hora. Isso pode nos fazer responder mais à masturbação (e suas fantasias associadas) do que ao sexo real.

3. A masturbação causa um desequilíbrio sexual

A masturbação eleva nosso nível de emoções e treina nossos corpos para procurar a satisfação sexual mais frequentemente do que o normal. O senso comum nos diz que deve haver um equilíbrio entre o sexo e outras atividades em nossa vida. A masturbação rompe esse equilíbrio, treinando nossos corpos e mentes a esperar gratificação mais frequentemente do que o normal. Como em um círculo vicioso, o desequilíbrio entre realidade e fantasia pode levar uma pessoa a aprofundar-se no vício.

O desequilíbrio sexual também pode afetar outras áreas de nossas vidas, desviando energia, tempo e recursos para a atividade masturbatória. Por exemplo, um homem fica acordado até tarde toda noite para procurar pornografia na internet. Sua performance no trabalho fica prejudicada pelo sono, sua família amarga seu mau-humor, sua esposa sente sua falta devido a diminuição de atenção e interesse nela, e sua dívida do cartão de crédito aumenta com os sites pornográficos.

Comentários

A masturbação pode lhe roubar muitas bênçãos que Deus tinha planejado para sua vida. Como cristãos, devemos nos focar não em realizar nossos desejos luxuriosos, mas em cumprir os desejos do Espírito Santo (Romanos 8, 12-13). Jesus ressuscitou para que nós também possamos viver uma nova vida, livre da escravidão do pecado.
__________

Adaptado do site: Porn-Free
__________

Veja outros artigos do blog Vida e Castidade em:
 http://vidaecastidade.blogspot.com/2010/07/siga-o-vida-e-castidade-no-twitter.html

43 comentários:

Anônimo disse...

muito bom pelo assunto aboradado gostei muito isso me ajudou muito apesar de eu so ter 16 mues hormonis estao ao limite isso me mostrou a verdade que eu ja sabia mai nao tinha visto ainda valeu ..............

Anônimo disse...

Gostaria de dizer que o assunto é de extrema importância, e que não pode ser tratado apenas no âmbito religioso.

Gostaria de dizer que a manipulação dos orgãos sexuáis tambem acontece nos animais e que é natural e sem riscos.

Se você se sente mal ao praticar o ato da masturbação; não o faça.

Eduardo.

Daniel Pinheiro disse...

Ao Anônimo que postou o comentário anterior (espero que vc leia);
1) Eu não tratei o assunto só no âmbito religioso. Se você ler todos os posts sobre masturbação do blog, verá que há mais argumentos não-religiosos que religiosos para dizer que a masturbação faz mal. Deixe de falar mal do que não conhece.
2) Nós não somos animais, se os animais mexem em seus genitais isso não quer dizer que temos que mexer também para sermos mais seres humanos. O ser humano é superior aos animais. Vá aprender alguma coisa de útil, por favor.
3) Natural no homem é o amor. E quanto a riscos, não existem só riscos físicos, há riscos emocionais no homem (diferente dos animais). Espero que você se considere um ser humano, e não um animal.
Passe bem.
Daniel

Anônimo disse...

Poxa Daniel! Estive pesquisando o assunto na internet e gostei muito de seu post e da qualidade com o qual assunto foi tratado, só fiquei muito triste ao ver seu sua resposta em relação ao comentário do Eduardo. Ele não o críticou, apenas fez uma sugestão e deixou uma opinião pessoal e a qual temos que admitir, tem muita relevância. É mais rico continuar a discussão e tratar o assunto do que maltratar aqueles que passarem por aqui e deixarem seus comentários bons ou não. Volto a dizer que gostei e concordo com a matéria porém nossa verdades são nossas verdades, científicas ou não, não dessem goela a baixo de ninguem. E o dialogo respeitoso é sempre a forma mais rica de disseminar um conhecimento! Obrigado pelo post. Tenha uma ótima semana.

Daniel Pinheiro disse...

Ao(À) anônimo(a) acima:
Amigo(a), pessoas como o Eduardo que vêm aqui e postam coisas, não o fazem para discutir saudavelmente, mas para diminuir o trabalho dos outros. Ele não quer argumentar, quer destruir, e tenta fazê-lo com argumentos que, ao contrário do que você pensa, não são relevantes, não inócuos. Se ele quisesse colocar argumentos razoáveis tinha vindo com outro discurso, não com mentiras ou frases prontas. O tratamento a essas pessoas não pode ser outro, você vai aprender com a vida. Além do mais não o maltratei, apenas o repreendi, foi o mínimo. Outra coisa, chamou minha atenção você ter escrito "nossas verdades". Não existem "nossas verdades" e as "verdades deles". Existe só uma verdade. O resto é relativismo. Parece que você acredita no relativismo, ou seja, que existiriam tantas verdades quantas são as pessoas diferentes. O relativismo é a praga que assola nossa percepção "moderna" das realidades humanas. Convido você a estudar mais para se libertar dessa praga. Só pode existir uma verdade.

Anônimo disse...

Olá Daniel! Esqueci de colocar meu nome! Chamo-me Wesley! Bom, aprendi então pelo que você diz que realmente sou relativista, mas vou estudar mais sobre o termo para entender até onde vai as definições do mesmo já que no meu entendimento não serve para piorar a situação do mundo em que vivemos. É que na minha formação aprendi que a única verdade, seria fazer e querer o bem a todos. E sobre o que é certo e errado, só com a evolução e o passar dos tempos poderíamos ver, pois o ego sempre nos faz pensar de forma distorcida. Gostaria que me indicasse um livro crítico ao pensamento moderno, pois sempre fui afastado da área de teologia (você é teólogo?) e não conheço o embasamento teórico de tal. Sobre o maltratar ou repreender, me desculpe, mas é que sua forma de escrever, talvez não só pela ótima qualidade, mas também pela imponente afirmação que faz sobre seus conhecimentos, pode fazer com que as pessoas se afastem de seu blog e deixem de aprender contigo! Eu mesmo contente com seu blog, ao ver seu comentário ao Eduardo, quase pensei em fechar a janela e esquecer tal assunto, mas como gosto de aprender sempre um pouco mais, ainda estou aqui. Espero que me entenda e que eu possa aprender e também colaborar contigo.

Wesley

Daniel Pinheiro disse...

Olá, Wesley, obrigado pela paciência. Quanto ao livro, eu recomendo Manual de Defesa da Fé - de Peter Kreeft / Ronald K. Tacelli. O livro é de uma editora protestante, mas não tem nada contra o catolicismo; o próprio autor é assumidamente católico... Vc pode comprá-lo em sebos virtuais, recomendo o site "estante virtual". Sobre a impossibilidade de haver mais de uma verdade, leia um dos últimos capítulos do livro... veja: se tudo é relativo, então a afirmação "tudo é relativo" também terá que ser... o que provocaria a necessidade de haver algo que não seja relativo, ou seja, algo absoluto, uma verdade incontestável, válida para todos os tempos e para todas as pessoas... e aí estamos numa contradição inerente à própria proposta inicial, não é mesmo? Entendeu a contradição? O relativismo é intrinsecamente inconsistente. Não precisa ser teólogo para perceber isso. Quanto ao tom do meu discurso, vou tentar ter mais paciência da próxima vez. Obrigado e continue lendo o blog.

Anônimo disse...

Gostaria de parabenizar o autor deste blog pelo tempo dedicado a passar conhecimentos que enriquecem não só a fé católica como a qualquer ser humano disposto a crescer nos diferentes aspectos da vida, em especial aos jovens que passam por muitas dúvidas na adolescência.

Anônimo disse...

Olá Daniel. Entrei na internet em busca de respostas para um problema que vivo. Achei seu artigo esclarecedor, mas me decepcionei com sua dureza ao criticar o Eduardo. Como cristão, lembro que Jesus veio para andar com os pecadores. Lembro ainda que as palavras convencem, mas são os exemplos que arrastam. Enfim, vou procurar outra pessoa que possa esclarecer minhas dúvidas. Sua dureza com um irmão me revelou algo que não quero ser ou fazer. Leandro-DF

Daniel Pinheiro disse...

Ao Leandro - DF e a todos mais que verem esses comentários: Amigo, você não tem idéia dos comentários que recebo. É porque não posto, mas estou pensando seriamente em começar a permitir, deixar passar, só para que fique claro para os leitores que nem todo mundo que vem aqui nesse blog é gente como você, que está com dúvidas e quer esclarecimento, ou que procura ajuda para vencer a masturbação ou a pornografia. Cito dois que recebi semana passada, só para você ter uma idéia. Um dizia: "Hahahaa estou morrendo de rir". O outro dizia: "Começa a fod.. que aí você não precisa mais se masturbar". Não cito outras baixarias piores... Já deu para perceber o nível. Então vem um anônimo e posta um comentário aqui dizendo que a masturbação é natural porque os animais também fazem. Eu digo que não somos animais, e que ele passe bem. O tom pode ter sido rude, mas não foi grosseiro. Pode ter sido sem paciência, mas não o desrespeitei. Se realmente ele tinha boa intenção, peço desculpas, como acho que já o fiz. Mas acho também que não custa nada a pessoa ler um pouco mais. O problema é que as pessoas se sentem meio "donas da verdade", e isso é um desafio à nossa paciência, pois quem já leu alguma coisa sobre, logo vê que o argumento não tem fundamento... Se faltei com a paciência, peço desculpas, mas não acho que minha falta de paciência seja motivo para você deixar de ler o blog. Eu apenas traduzo textos, sequer coloco minha opinião pessoal, a não em alguns comentários. Faço isso justamente para evitar falar de coisas que não sei, para evitar erros, para evitar me mostrar como "sabichão" em assuntos em que na verdade apenas estou me iniciando (como parece que o referido anônimo fez). Se este blog for de ajuda para alguém, como tem sido (e tenho recebido testemunhos nesse sentido também) eu já me dou por satisfeito. Não sou perfeito, amigo. E não acho que você deve exigir perfeição da pessoa para poder acreditar nela. Eu sei que os exemplos arrastam, e gostaria de ser mais exemplar, porém a busca pessoal por perfeição não deve se basear na perfeição dos outros, pois todos pecamos... deve se basear em Deus, que é totalmente perfeito. Nossa meta é ser como Cristo, dEle aprendemos tanto eu quanto você, portanto estamos juntos nessa... peço-lhe que na próxima vez juntemos forças, ao invés de só criticar... E eu lhe digo, ninguém deve esperar ser santo para divulgar a santidade... a própria busca é que nos faz santos. Saiba que os artigos desse blog são traduzidos primeiramente para meu proveito próprio... já escapei de muitos pecados por causa deles, e por causa do testemunho que me sinto no dever e acima de tudo no chamado de dar por conta desse blog, porque seremos tentados até o final de nossas vidas. Portanto, já pedi desculpas a quem de direito, e quanto ao tom das minhas palavras, não se escandalize com um tom mais forte condenando o que é errado, se escandalize, sim, com o erro, com o pecado que está no mundo, se escandalize com as tentações... um forte abraço. Daniel

The Punisher disse...

Gostei muito do contexto quem o fez esta de parabéns!Pode ter certeza que quem fez esse artigo não é um simples mestre em retórica mas sim uma pessoa que sabe o que fala.Ainda há uma esperança para a humanidade.

The Punisher disse...

Esse conteúdo foi certamente muito esclarecador!Continue fazendo esse ótimo trabalho!

Anônimo disse...

achei o artigo bastante bem preparado, com um nível de linguagem de auto padrão que defendeu bastante o seu ponto de vista Daniel, parabéns. Porém no contexto esclarecedor, ocorre que todos nós temos pontos de vista diferentes e sempre acharemos em eventuais casos como este por exemplo, que somos os "donos da verdade". No caso de nosso amigo Eduardo que defendeu a idéia de que a masturbação é um ato comum já que os animais tambem praticam, gostaria de lembrar que não somos tão superiores a eles assim. Pense nas desgraças que só um ser humano conseguiu fazer até hoje, a frieza e a crueldade que ele adquiriu por ter sentimentos. Pensemos então que animais não fariam o que seres humanos ja fizeram, talvez não por sanidade, mas por não pensar. Então, acredito que a dádiva do pensamento não é uma ferramenta bem utilizada pelo homem nos dias de hoje que o faz algumas vezes ser tão "estúpido" quanto os animais. Agora no ponto de vista da religião, convenhamos que a Igreja nunca aceitou bem sexo se não for para reprodução muito menos masturbação, isto porque elas estão ligadas aos prazeres carnais. Mas foi o homem, o ser imperfeito que veio para evoluir que inventou a Igreja, foi o homem que inventou a existencia dos pecados capitais. Foi o homem que disse que se você não fizer parte de tal religão, não encontrará felicidade e nem purificará o espirito. Eu venho de uma linhagem longa de católicos da minha família mas não me considero parte da Igreja Católica nem de outra religião. Pois acho que se existem tantas , não deve haver apenas uma certa, Deus não disse que catolicismo era a religião que te levaria ao Paraíso após a morte. Assim como nenhuma está certa, nem errada. Acredita na Bíblia? Aquela que foi escrita e re escrita e manipulada pelo homem? Não estou dizendo que a Bíblia é uma mentira, acredito na palavra de Deus porém o homem distorceu ensinamentos, parábulas e significados. Tudo é uma questão de princípios, de crenças, muitas vezes de achismos. E a defesa de religiões gerou conflitos no mundo inteiro, porém acho que não era isto que Deus queria.
Acredito que precisamos aprender a ouvir ideias, respeitar opiniões, parar de criticar os outros por questões como estas,e mudar nossos conceitos sobre o que é certo e errado. Afinal, Deus tambem não disse que masturbação é errado e a Ciência é dividida pela realidade de cada um, aquele que acredita que é certo e aquele que acredita o que é errado. Cabe a pessoa decidir o que é melhor para ela por isso eu defendo os dois lados: não critiquem se acham que quem escreveu este artigo estava alienado, porém quem o escreveu tambem não ache que esta é a única verdade, pois não é e nunca conseguiremos chegar a um consenso em nada na vida e nem agradaremos a todos com nossa opinião.

Daniel Pinheiro disse...

Caro "Anônimo",
Suas dúvidas dizem respeito à fé, e nesse sentido fogem do objetivo deste blog, e nem teria espaço para responder nos comentários. Então deixo de responder, não por não saber, mas por não ser aqui o lugar para isso. Mas posso recomendar para você a obra de Peter Kreeft, o estudo do Catecismo da Igreja Católica, e também sites de apologética, como o Veritatis Splendor. Tudo isso está na internet.
Só para citar algo contra o relativismo. A proposição "não existe verdade absoluta" é autocontraditória. Ora, se não existe verdade absoluta, então a mesma proposição (qual seja, "não existe verdade absoluta") tem que ser vista como relativa, ou seja, tem que admitir a possibilidade de uma verdade absoluta. Ela contradiz a si mesma. Quem a propõe a contradiz na própria proposição, pois quer fazer supor que ela seja verdade absoluta.

Daniel Pinheiro disse...

Com relação à masturbação, a Bíblia apresenta a condenação por Deus da atitude de Onã (Gen 38), e você pode ler farta documentação de Teologia Moral que permite entender as bases teológicas da condenação da masturbação como ato intrinsecamente desordenado. Você pode encontrar na seção sobre masturbação, neste blog, outros artigos que tratam tanto dos malefícios espirituais da masturbação quanto dos malefícios sociais, psicológicos etc. Ou seja, mesmo um ateu chegará à conclusão de que a masturbação traz mais problemas que vantagens, mesmo de um ponto de vista puramente racional.

Anônimo disse...

Quanta mentira! Quero ver algum estudo científico sério confirmar essas bobagens! O que vicia não é a atividade. É o próprio excesso. Quem estudar um pouquinho de neurociência vai gastar bem poucas páginas para tirar essa dúvida. Procure "sistema de recompensa do cérebro". A resposta está lá.

Daniel Pinheiro disse...

Ao Anônimo acima:
Bem, gostaria que você desse uma olhada nos posts que coloquei hoje, 5 de maio, sobre masturbaçao (eles também podem ser encontrados nos links 'artigos sobre...'). Eles trazem algumas citações de trabalhos científicos. Agora, muito além do problema do vício, que realmente existe e pode prejudicar seu futuro casamento, procure pensar em um outro plano. Valorizamos muito o cietífico e o racional, mas pense objetivamente se é um ato de amor, se realmente satisfaz os desejos mais profundos de amor do seu coração. Esse é o problema fenomenológico (que também é uma ciência), um problema personalista (pessoal), para usar algumas palavras. Sem falar dos problemas teológicos.
Acho que você pode ler os outros artigos desse blog sobre o assunto.
Obrigado.
Daniel

roberto disse...

Cara, deixa eu te fala uma coisa, vc fala sobre relativismo e verdade absoluta? Mas qual é a verdade? A verdade do catolicismo? Me parece que é isso que vc defende aqui. Lamento meu amigo, nada mais fora da realidade do que isso. Estude com sinceridade e vai acabar descobrindo coisas assustadoras pra vc como católico. De verdade, nada contra os católicos, mas para de defender o que é indefensável ta bom. Faz bem a vc mesmo. Quanto a masturbação, interessante seu ponto de vista, mas olha só, é o seu e vc nao usou nada de cientifico pra demonstrar suas ideias, para de dizer o que nao é verdade. E por ultimo, a sua maneira de responder aos outros é lamentável sim, mal educado e se achando o dono da verdade. Não é uma questão de paciencia mas de respeito a opnião dos outros, é o minimo que alguem que estuda pode fazer. Espero que tenha coragem de postar o que eu escrevi. E de verdade, vamos pensar mais antes de falar. Força Daniel vc tem talento, apenas use da maneira correta. Abraços....
Roberto

Daniel Pinheiro disse...

Caro Roberto, eu sou católico e e lhe digo que se pode verificar a razoabilidade da fé católica acima de qualquer opinião, por meio do uso da razão. Entretanto, este não é o objetivo deste blog. Caso queira discutir questões de apologética comigo, será uma satisfação, basta entrar em contato pelo e-mail na pág. principal. Eu queria informar que já estudei, e não me assustaria com nada que você me disesse. Quanto à afirmação de que não usei nada de científico, isso é falso, basta olhar os posts "O sexo e o cérebro" e "Efeitos fisio-psicológicos da masturbação". Quanto à questão de opinião e verdade, continuo no comentário seguinte.

Daniel Pinheiro disse...

Caro Roberto, este blog destina-se a disponibilizar aos leitores de língua portuguesa artigos em outras línguas disponíveis na internet. Quanto à questão de opinião e verdade, pense no seguinte: você acha que não existe verdade objetiva, somente opiniões de um e de outro. Mas isso você quer passar como verdade absoluta. E não percebe a auto-contradição. Se não existem verdades objetivas, então posso considerar uma como mera opinião falsa a sua afirmação de que elas não existem. Para sustentar sua afirmação de que "tudo é questão de opinião", você não teria que respeitar a minha, de que nem tudo é questão de opinião? Como ficamos? Você me acusa de mal-educado, que se acha o "dono da verdade", mas eu desejo apenas conhecer a verdade, e propagá-la. Se eu já a conheci, não existe obra de caridade maior do que tentar mostrá-la e demonstrá-la aos outros. Continuo no próximo comentário.

Daniel Pinheiro disse...

Como dizia, busco a verdade e quero propagá-la. Alguns irão reconhecê-la, outros, mesmo reconhecendo-a no fundo do coração, irão negá-la. Muitas vezes isso acontece porque não vivem segundo a verdade, e dói muito admitir o próprio erro, e mudar de vida. Não conseguimos conviver fora da verdade por muito tempo, então, se não queremos mudar de comportamento, inventamos nossa própria "verdade", aquela que se conforma ao nosso comportamento, e usamos artimanhas para combater quem prega a real verdade, ou denuncia as "verdades" falsas. Artimanhas como: tentativas de denegrir a imagem de quem defende a verdade, ou ridicularizá-lo com acusações de intolerância, de covardia, de falta de coragem, de falta de paciência, de falta de inteligência etc. Tudo isso é muito fácil. Mas querer conhecer a verdade e estar disposto a conformar a vida com ela é difícil.
Concluindo, o objetivo do blog é a castidade, você pode ser de outra religião e mesmo assim aprender (como eu aprendi)com o conteúdo deste blog, e levar algo para sua vida. Espero que você leia os outros artigos deste blog. Sobre a questão da verdade vs. opiniões, sugiro a obra de Peter Kreeft. Se eu disponibilizar algum material dele, atualizo aqui com o link.

roberto disse...

Fala Daniel, primeiramente muito obrigado pela resposta educada e bem estruturada. Só queria falar uma coisa. Sobre o texto de Gênesis 38 que vc citou como prova de que a biblia condena a masturbação, vc tem certeza que ja leu esse texto? Ele fala sobre "ejacular fora", ou seja negar a descedência, mas de jeito nenhum fala sobre masturbação meu amigo. Olha só eu nao sou a favor dessa pratica tbm, mas nao da pra dizer que a biblia condena, porque nao há texto pra isso. E um bom exemplo disso é que vc nao vai conseguir encontrar nenhum alem desse que vc, de forma errada, citou. Cientificamente masturbação nao faz mal. Mas na moral religiosa isso é um crime. Bom td bem, mas deve se tratar entao dentro do campo religioso, pra nao ter que ficar falando coisas que nao se podem provar sabe, isso acaba ridicularizando as coisas.
A vida segue e enquanto ela segue, vamos aprendendo uns com os outros... Abraços....

Daniel Pinheiro disse...

Caro Roberto, tenho certeza que já li o texto de Gênesis 38, não só o texto da Bíblia, como estudos de teólogos e exegetas bíblicos católicos sobre este texto. "Ejacular fora", mesmo com a presença física da mulher, pode também ser entendido como o mesmo que a masturbação, um ato que não está aberto à propagação da vida, e busca apenas o prazer pessoal. O termo "onanismo" (de Onã, personagem da passagem citada) tradicionalmente no cristianismo é sinônimo de "masturbação". Agora, existem muitas razões teológicas para se considerar a masturbação um ato moralmente desordenado. A Igreja fala de masturbação no parágrafo 2352 do Catecismo da Ig. Católica, você pode ler. Continuo no proximo comentário.

Daniel Pinheiro disse...

Caro Roberto, a psicologia também é uma ciência! Do ponto de vista puramente fisiológico pode não haver maiores problemas com um ou outro ato de masturbação, porém os artigos deste blog (espero que você tenha lido) que tratam de masturbação explicitam bem pesquisas que mostram como nosso cérebro se "acostuma" com aquele tipo de prazer, o que trará problemas futuros na relação sexual com uma pessoa real. Além disso, você deve estar ciente que a ciência já comprovou a ligação mente-corpo, ou seja, como nossas disposições psicológicas afetam o corpo, e portanto o que o corpo faz, incluindo a relação sexual. Só uma correção: na moral religiosa não há crime, mas sim pecado. Você pode, se quiser, se masturbar sem cometer um crime nem ser preso por isso, mas não venha querer que nós pensemos que isso é moralmente correto. Se você pessoalmente acha que é moralmente bom, é outra história. Estou tentando lhe mostrar aqui e com o blog que não é. Mas querer mudar a verdade, isso você não vai conseguir, porque a verdade é a verdade. Acredito que você talvez tenha que perceber que há uma racionalidade na fé, e uma ligação dela com a realidade. Não há um "campo religioso" destacado, como se Deus fosse criação do homem, mas Deus e a moral fazem parte intrínseca da realidade. Pense nisso e na interpretação da Bíblia a partir de leituras "ao pé da letra". Você me critica o tom de meus outros comentários achando que passo ar de "superior", mas me permita dizer que percebo isso no que você escreve. Deus lhe abençoe.

roberto disse...

Bom Daniel, deixa eu te dizer umas coisas: 1° não sou arrogante e nem tento impor minhas ideias a ninguém, apenas estamos discutindo sobre um assunto na tentativa, pelo menos da minha parte, de descobrir a "VERDADE"; 2° não sou a favor da masturbação; 3° Vc insiste sim num tom "superior" e isso nao fui só eu que percebi. Bom, mas vamos ao que interessa. Concordo plenamente com vc, psicologicamente a masturbação causa danos tremendos no ser humano, agora sim vc acertou na mosca. Sou estudante de psicologia e o que vc disse tem fundamentos solidos sim. Fisiologicamente não mas psicologicamente sim, terriveis consequências. Só mais uma coisa, racionalidade da fé é uma coisa muito dificil, se é que existe. A questão de Deus ser inventado pelo ser humano tambem nao cabe, isso é a confusão que se cria em se confundir Deus com as nossas convicções. Trancamos Deus em uma caixa, vc sabe disso. Ja fiz teologia, é isso que fizemos. Criamos um Deus a nossa imagem e semelhança, como se isso fosse possivel. Deus está além e muito superior a nós. Ele existe por si só e não precisa de nós. Não existe religião boa, vc sabe disso, a verdade catolica é absurda e a dos evangelicos tbm, nem vou falar de outras, seria perda de tempo. A única verdade absoluta se chama "JESUS", o resto é a nossa pequena tentativa de encontrarmos razões para o que acreditamos. E exatamente ai que nos diferenciamos mas, se formos humildes, tbm podemos nos completar. Me desculpe pelos comentarios, mas posso afirmar que aprendi tbm com vc, e isso pra mim é o que importa. Aprender sempre, crescer sempre. Deus abençoe vc...

Daniel Pinheiro disse...

Olá, Roberto, não, amigo, racionalidade da fé não é difícil. Reclamar que eu tenho "tom de superior" é uma maneira muito fácil de tentar fazer com que eu deixe de escrever o que eu penso, não acha? Não criamos um Deus à nossa imagem, Ele existe eternamente independente de nossa existência. Ele nos criou. A religião católica não é absurda, visto que o próprio Jesus, a quem você se refere como "verdade absoluta" foi quem a fundou, e isso está documentado na história e na Bíblia. Creio que o assunto agora entre nós deixou de ser sobre castidade e sobre defesa da vida, que é o tema deste blog, portanto não tem mais sentido continuarmos trocando comentários aqui. Caso você deseje discutir teologia e apologética, indico o pessoal do site Veritatis Splendor. Deus lhe abençoe hoje e sempre...

Anônimo disse...

Olá a todos sou mulher, luto contra o vício da pornografia e masturbação. Gostaria de parabenizar e agradecer ao blog, que está me ajudando no meu processo de cura, e também contar minha história. Estou a quase um ano sem acessar vídeos pornôs na internet, entretanto ainda restam sequelas que ameaçam meu relacionamento atual, quero me livrar disso para sempre. A luta é constante. A princípio, busquei a pornografia por curiosidade, sempre fui tímida, não tive muitos namorados, na época de escola não estava na lista das mais atraentes. Isso me incomodava. Escutava meninas mais novas que eu contando suas experiências, eu não me sentia bem por ser inexperiente. Tive paixões platônicas por homens mais velhos que nunca me deram esperança, andava com garotos que só enxergavam o corpo de uma menina, que só queriam prazer, por eu não ter uma aparência e comportamento muito feminino na época, eles me tratavam como mais um garoto do grupo. Ouvia muitos absurdos sobre o que eles falavam de suas parceiras. Passei a ter essa imagem dos homens. De um lado, tinha essa imagem dos homens, do outro tinha a "pressão" feminina de que você deve saber provocar, você deve ser irresistível, "virgindade é uma doença"você tem que conhecer o corpo masculino para saber dar prazer, você deve saber que tipo de sexo que lhe proporcionará prazer. Para quem pensa que essa pressão só existe no universo masculino, está muito enganado. As mulheres também tem esse lado e estão cada vez mais banalizadas. Não é só a Playboy ou revistas "masculinas" que você encontra pornografia. Revistas como NOVA, Marie-claire, em suas matéiras sobre sexo e "amor" não contém as imagens, mas induzem as mulheres serem as imagens, a criarem fantasias falsas e perigosas. Acessei fotos, vídeos pornôs na internet, primeiro por curiosidade, para saber como funciona e como é o corpo masculino, e também como as mulheres se comportavam, se depilavam. Aprendi da pior maneira possível. A partir daí me sentia excitada, me sentia como a própria atriz do filme e comecei a me acariciar. Usava isso como uma forma de encontrar prazer e desestressar, de achar que assim conheceria meu corpo para quando fizesse relações eu teria um sexo satisfatório. Sempre que acabava, restava a culpa. Me tornava depressiva, levava tudo para o lado da malícia, os comentários das pessoas, tudo. Me excitava com outras mulheres nuas, até com catálogos venda de peças íntimas. Me imaginava vestida como essas atrizes pornôs e fazia sexo imaginário com paixões platônicas. Até que me formei, fui trabalhar e por me sentir culpada e mal, parei de ver pornografia, porém, continuava a ler matérias de sexo em revistas femininas e criar fantasias. Não acreditava nos homens, na família, no casamento. Passei a querer ser auto suficiente em tudo, decidi não me envolver com mais ninguém, já que os homens não qeriam nada sério mesmo, e se me sentisse só me masturbaria, embora eu tenha parado com essa prática.

Continua...

Anônimo disse...

continuação
Até que um dia, Deus me enviou alguém especial, o meu namorado. Ele é o melhor presente que Deus pode ter me dado. Nos amamos, assumimos um relacionamento sério com aprovação de nossas famílias, apesar atualmente morarmos em lugares diferente e nos vermos de vez em quando. Ele é um rapaz virgem, temos a mesma idade. Fizemos uma viagem juntos, tinhamos acabado de assumir nosso amor. Ele não tinha intenção nenhuma de ter relações comigo, ele sempre me respeitou, e eu não tinha entendido isso, logo vinham as lembranças das pressões femininas de que "você tem que proporcionar prazer a ele" e assim conseguirá mantê-lo ao seu lado. Apesar de um bom tempo longe dos meus distúrbios sexuais, logo após nosso jantar romântico, fomos para o hotel e quando ele ia para o quarto dele, eu o induzi que ele ficasse comigo. Ele cedeu, mas não com más intenções. Eu comecei a despí-lo e até ficarmos semi nus. Eu lembreva de como as atrizes pornôs faziam e colocava em prática, mas, nenhum de nós estávamos preparados. Até que quando quase aconteceu eu parei. Ele ficou triste, chorei e nos desculpamos. Ele disse que sexo não era a prioridade dele e sim, eu. Contei que achava que fazendo sexo não iria perdê-lo, pois essa era a visão que eu tinha dos homens, de que eles não vivem sem sexo. Decidimos a partir daí viver a castidade, já que Deus nos deu o presente de ambos nunca terem tido relações. Tivemos momentos tentadores, mas conseguimos superá-los. Ele teve de voltar à cidade dele por causa do trabalho, nos veremos novamente mês que vem, depois de dois meses sem se ver. Nesse tempo, não cheguei a ver nada pornográfico, mas comecei a dar asas a fantasia, cheguei a me masturbar e mais uma vez, e ler matérias de sexo para provocá-lo no próximo encontro, mais uma vez, a culpa. Lembrei do nosso priemiro fracasso, e de todas as vezes que conseguimos parar antes que esquentasse ainda mais. Decidi me curar de uma vez por todas e Deus me deu a graça de encontrar esse blog. Não quero levar essa sexualidade para o meu matrimônio. Não quero contaminar meu namorado com esses modos sexuais compulsivos. Decidi que quero respeitá-lo e viver momentos felizes com ele da maneira certa. Muitos homens consumidores de pornografia ao se relacionarem com suas esposas, relacionam-se na verdade com as atrizes, prostitutas. No meu caso e de muitas mulheres, porque esse é um problema feminino também, nos incorporamos nessas mulheres, deixando de ser nós mesmas, fazendo com que nossos parceiros cometam adultério, e traímos a nós mesmas. Me envergonho muito por ser mulher e ter visto esses conteúdos nocivos, é muito mais doloroso para nós mulheres. Por isso devemos buscar a cura constantemente, orar a cada vez que as imagens e fantasias vierem a nossa mente, e assumir um comportamento sexual próprio e adequado ao princípio de Deus, que é o amor e não o somente o prazer da carne. Não devemos conduzir aos nossos maridos ao que é mal, não podemos agir com Eva, precisamos de ajuda e da força de Deus. Não vamos desistir mulheres. Vamos lutar por uma sexualidade santa, e não duvidemos de que Deus prepara o melhor para nós e para isso devemos permanecer puras para receber o que Ele nos dá, caso contrário corremos o risco de estragá-lo. Sei que meu comentário ficou longo, mas, gostaria de compartilhar essa história para mostrar a muitas mulheres que sofrem com isso possam buscar a cura como eu.

Anônimo disse...

Olá, gostaria de dizer o quanto esse blog está sendo importante para mim. Ainda sou virgem, porém a algum tempo busco me livrar desse terrivel vício da pornografia, mas muitas vezes acabo tendo recaidas. Mas hoje, com a ajuda dos textos que estou lendo aqui e principalmente com a benção de Deus, decidi lutar e abandonar definitivamente tudo isso, para continuar vivendo a castidade no meu namoro e em tudo na minha vida. Um abraço e Deus sempre os ilumine.

Daniel Pinheiro disse...

Amem, que Deus o abençoe, rezei agora por você. Força e confiança na misericórdia de Deus. Não desista nunca, é para seu próprio bem. Fique com Deus.

cicero disse...

Por mais que eu tente,nao consigo libertar-me da masturbação e da pornografia vrtual, deixei de lado o sentimento de culpa, ja que nao consigo me libertar relaxei e vou fazer ate enjoar.
Santos

Daniel Pinheiro disse...

Acredite, Cicero, você não é o primeiro que tem essa idéia, muita gente já pensou isso. Não conheço ninguém que tenha ficado feliz. Apesar de ser uma luta às vezes difícil, desistir é a pior opção. Vou rezar uma Ave Maria por você. Pense bem: você disse que ia fazer até enjoar. Se você fizer mesmo, quando chegar no final e você estiver mesmo enjoado de tudo, vai estar se sentindo feliz? Creio que não. E daí, o que mais vai procurar para preencher o vazio? Só o verdadeiro amor preenche os nossos corações. Procura ler outros artigos e se aprofundar, para mudar de idéia. Deus te abençoe.

Ray disse...

É, esse testemunho da nossa irmã anônima é a maior prova do quanto a masturbação pode ser nociva.Parabéns pela sua coragem, com certeza você já está ajudando a muitos apenas com o seu testemunho!Que Deus a abençoe e fortifique!Acho que a discussão ultrapassa e muito argumentos meramente "racionais" e "científicos" (que também embasam que a masturbação é um mal), mas fala sobretudo de AMOR, que é o princípio que deve guiar nossas vidas e todos nossos atos.Um dos comentadores do post falou em Jesus, e a principal lei que Ele nos deixou foi a Lei do Amor.Não consigo imaginar como a masturbação possa ser um ato de amor -a não ser amor por si mesmo e, entretanto, um amor doentio, que causa mal a própria pessoa que pensou que estaria fazendo um "bem" a si mesma.Vou rezar cada vez mais por aqueles que lutam pela virtude da castidade.Vale muito a pena gente, é sério!!!A masturbação que é um pecado relacionado a nossa sexualidade adoece e acerta em cheio a nossa capacidade de amar.Quer coisa mais triste que isso?O amor é o que de mais belo existe no mundo!Abraço a todos e Deus nos abençoe sempre mais! Rayana

Silvanio100 disse...

se todo os comentarios tem que ser aprovado pelo autor do blog entao como confiar no verdadeiro sentido do assunto ? Nada mais que religião, olhando bem atentamente. Quando as pessoas vão entender que isso e uma nessesidade do propio corpo e não tem nada de mau atender as nossas nessesidades, mas a minha opinião e inrelevante pois como na propia pagina do blog ta alertando minha opinião tem que ser aprovada ainda. Obrigado
Por: Silvanio

Daniel Pinheiro disse...

Caro Silvanio, os comentários são moderados pois tem gente que envia termos ofensivos, palavras de baixo calão, e os leitores não merecem ler isso. Ninguém merece, aliás. Quanto à masturbação, é mentira que ela seja uma "necessidade do corpo", pois eu mesmo vivo há muito tempo sem me masturbar, e nunca morri nem fiquei doente nem neurótico por causa disso. Pelo contrário, tenho grande paz no coração, coisa que não tinha antes. E, quando eu me casar, um dia, se Deus quiser, serei muito feliz em utilizar minha sexualidade para demonstrar amor à minha futura esposa. Que Deus lhe abençoe.

Anônimo disse...

Ridículo!

Anônimo disse...

Essa uma argumentação mais ignorante que já li...
Falar que masturbação causa os mesmo efeitos de uma Droga é o mesmo que dizer que que Sexo é uma Droga.
E outra, não tem nada de mais do que ter prazer... afinal, ter prazer é bom, mesmo sozinho.
Mesmo que Masturbação vicie, Sexo também, o que não deixa de ser natural, é o meio de se procriar.

PS: Muito provável que esse comentário não seja aceito, o que não me espanta.

Daniel Pinheiro disse...

Esse é o post mais comentado e o que suscita comentários mais ardorosos por parte dos leitores. Algumas observações sobre o que o anônimo escreveu acima. Primeiramente, não deveria escrever como anônimo. Em segundo lugar, deveria refletir um pouco mais sobre o sentido do ato sexual. Se o ato sexual fosse só para obter prazer, seria uma masturbação a dois. Mas o ato sexual também não é só para procriar. É evidente que ele traz prazer também. Entretanto, ele é muito mais: é uma união de duas pessoas, e essa união não é (não deveria ser, pelo menos) apenas carnal, mas sim união de vida, de espírito. Um ser se entrega ao outro ser, e vice-versa. O Gênesis chama isso de "uma só carne", de modo que marido e mulher já são apenas um só, mesmo sem deixar sua individualidade totalmente. Se você conseguir visualizar a profundidade do significado do ato sexual, a masturbação perde completamente o sentido de ser. Quanto a "viciar", ninguém está negando a força do prazer sexual. Entretanto, na vida conjugal esse "vício" está a serviço do amor e da união entre os esposos. Na masturbação, está a serviço do egoísmo, do desejo de sentir prazer pelo prazer, e isso não tem sentido nenhum, porque não leva a nada. O homem só se compreende e só encontra sentido no amor, e o amor nunca é sozinho. E, por favor, nada de provocações bobas, do tipo "meu comentário não vai ser publicado", etc. Isso não leva a nada. Que Deus lhe abençoe.

Anônimo disse...

O texto e a história contada nos comentários, abriram a minha mente e iluminaram a minha'lma. Certamente, buscarei um caminho diferente, a santidade...

Muito obrigado!

Anônimo disse...

QUEEEEEE BONITOO!!!

Cara, teu blog é maravilhoso...
A tempos eu estava procurando um artigo como este, fiquei vislumbrando ao ver como esse blog é bom...

Só achei que faltou algumas coisas pra vc falar...
Tipo...

É dito que a masturbação é pecado. E, nós cristãos, consideramos tudo o que é pecado algo que vai contra o amor a nós mesmos e aos outros e trás sofrimento.
O que sempre detestei é gente perguntando: porque é pecado a masturbação?? Sempre quis saber porque faz mal. Pesquisei sobre os males da masturbação:

Eis a conclusão que eu cheguei:

1 - O vicio da masturbação não acha saciação; é como uma droga que vai pedindo mais ''peversão''
2 – O vicio é algo do qual não se consegue se separar; quer dizer que, se uma pessoa mantem uma frequencia de masturbação já é viciada. 
3 – Se o vicio é desencadeado por uma busca de felicidade; a pessoa nunca se saciará
4 – Se o vicio não é largado antes do casamento, não vai ser abandonado.
5 – O vicio leva a focalização do prazer venereo e a outras praticas maleficas sexuais
6 – O vicio não trará saciação ao coração e, alem disso, só trara dias de dor e sofrimento para os conjugues
7 - Se uma pessoa está focalizada na masturbação, não está focalizada em amar.
8 - Se não está focalizada em amar, mas no prazer venéreo, outras formas de pecado como: traição; também poderão ser desencadeadas.


Enfim...vemos que a masturbação trás sofrimento emocional a vida...
E nos impede de amar da forma mais bonita possivel...
Casar com o vicio da masturbação é como nunca casar...
não é atoa...q quase nunca vemos consjugues felizes por ai...todos nao compreendem a magia d Deus...

Marcos Urtremari disse...

Para voce que pergunta porque é pecado a masturbação, diga a voce mesmo em que voce pensa ou olha para se masturbar, e a resposta lhe será bem clara. Alguém se masturba pensando em Deus? Não, e tudo que tomar o lugar de Deus no seu coração é pecado, mesmo que seja um trabalho honesto.

Marcos Urtremari disse...

Muito bom, nao fosse um detalhe, Deus em nada se relaciona com magia...

Anônimo disse...

Tentei ler tudo hoje, mas não deu ( contando com os comentário é claro). Achei muito interessante e útitl também. Lembro a todos que ser rúde já é um erro em si, ainda mais com as palavras escritas, pois temos tempo para refletir. Isso demostra o quanto temos a nos melhorar.

Nos tornamos melhores por nossos hábitos. Elevando os bons e domando os ruins. Um dia não teremos mas a "necessidade" ou melhor dizendo a vontade de nos masturbar, assim como a vondade de comer carne. Que é desnecessário, já que existe vegetarianos ou seja, sobreviventes e muitos que vivem até melhor do que outros que são carnivoros.

Mas isso tudo é de acordo com a evolução de cada um. Devemos aprender a tolerar, mas sem deixar de ensinar os outros.

Sei agora, graças a Deus, de que a unica forma de modificarmos nossos habidos, é através de nossas vontades. E nada melhor do que uma moral verdadeira ou seja uma moral plantada com amor, como Jesus nos ensinou, para nos modificar.

Atenciosamente, um Anônimo, mas tb importante :p, assim como todos são. Pois Deus na sua suprema sabedoria faz útil até o "inútil". Mas isso ja é outro assunto. Estejam com Deus.